15 de junho de 2012

De atriz principal para coadjuvante de uma historia ....


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda Que Os Teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima De ti mesmo. Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera Com paciência. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança Em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação Da fé e prosseguir vivendo. Eleva, pois, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite. Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.
Chico Xavier



Então esta passando, aos poucos a tempestade se vai, olhando e analisando os estragos não foi perda total , esta tudo bem e sabe o que descobri claro que foi com ajuda de profissional de Deus, meu anjo da guarda, minha querida e amada amiga Jane.
Passei um bom tempo de minha vida resolvendo coisas, tomando a frente de todos os problemas, não reclamava, resolvia de qualquer forma, do meu jeito. Quando minhas filhas foram crescendo ensinei a elas não ficar choramingando eram para serem firmes nos seus propósitos e tentarem resolverem coisas triviais sozinhas, as treinei para a vida, porque pensava que se não fosse um pouco cruel com elas o mundo ali fora seria muito mais. E foi assim, não ficava conferindo cadernos e nem pegando no pé para estudar porque era uma obrigação delas, eram elas que seriam punidas por elas mesmas assim eu falava e nunca me incomodei com escola, professores e alunos, elas nunca arrumavam brigas, nunca foram preguiçosas e sempre foram muito bem nos estudos, elas cresceram e foram decidindo o que fariam dela, a mais velha resolveu morar sozinha e nunca mais voltou a morar comigo se deu super bem, logo depois casou e ficou gravida e eu? ficava na arquibancada da vida aplaudindo seu talento, logo depois casou e teve meu netinho, lindo, peça fundamental em nossas vidas. Sempre dizia a ela que nunca me contasse briguinhas entre ela e o marido (a não ser que fosse algo muito serio), porque ela iria perdoá-lo e eu não. Então foi assim, não me envolvo muito em sua vida a não ser que ela me peça algum conselho, a encorajo a lutar pelo que quer e sou apaixonada e muito orgulhosa da pessoa que ela se tornou.
Então vamos a minha bebe de 16 anos, começo a namorar, foi uma luta porque achei ela muito nova para namorar, na época ela tinha 15 anos, mas devido a varias conversas, concordei, lembrando a ela sobre suas responsabilidades em acarretar para si tantas coisas boas como as ruins de uma vida a dois. Seu primeiro amor.
Passara-se um ano de namoro, tudo muito bem, viajei e quando voltei ela estava mudada, o namoro estava estranho e cada dia mais. Logo terminaram e eu nem participei quando soube já foi, me senti um pouco fora da realidade, sem chão, adorava o menino, já o sentia da família, fiquei muito chocada e chorei, meu marido me consolou. Ela andava triste e merecia meu colo, mas agora eu entendo, claro que meu anjo como disse acima, estávamos conversando e ela me falou que na verdade quem estava mais sofrendo com isso era minha pessoa, só isso me bastou para me analisar. A minha bebe esta mesmo triste, pois ela o amava muito e não deve ter sido fácil esta decisão e ela resolveu seu problema sozinha. O problema comigo é que me sentia excluída da vida dela, entende agora? o problema é que meu bebe não precisa mais de mim, ela é decidida e forte e fui eu que fiz ela ser assim. Deixei de ser a atriz principal e passei a ser coadjuvante de sua historia. Confesso que me orgulho muito dela, sabe quando a gente ouve que os pais são espelhos para seus filhos, é real. Embora esteja um pouco envergonha por me comportar como uma mãe chorona e ciumenta, fico muito satisfeita por ver que minha filha se tornou uma pessoa forte que pensa nela, no seu futuro e que esta preparada para a vida, para aquele mundo ali fora que muitas vezes se torna cruel.


Os filhos realmente não são nossos, eles crescem e se vão e nossa função é prepara-los para que não tenham medo e que se não seguirem por um caminho que seria o certo, dá para voltar e recomeçar...


Então esta tudo bem, estava sofrendo por uma historia que não era minha, por um coração que não era o meu e por um fato que sonhava diferente e no fim disso tudo descobri que tenho que arrumar uma outra coisa para fazer, pois meus amores são fortes e já sabem caminhar sozinhas, então alguém vai pensar, mas ela só tem 16 anos precisa da mãe, claro que sim, mas vou ficar aqui esperando que ela me chame, porque elas sempre chamam, porem vou respeitar o espaço e ficar observando e continuar na arquibancada aplaudindo minha próxima estrela da vida...



4 comentários :

  1. Oi, Verinha. As mensagens do Chico são sempre recheadas de sabedoria. E sobre o texto, é assim mesmo, os filhos crescem e voam. Ainda não sou pai e sim filho (rsrs), mas esse relato é mt comum: mães que vivem a vida dos filhos e se esquecem delas mesmas. bjssss

    ResponderExcluir
  2. Bom dia
    Bom final de semana
    Vim deixar um abraço, pela sua
    presença sempre carinhosa no meu
    cantinho, receber sua visita é
    um prazer imenso,que seu dia seja
    melhor hj e sempre
    Bjuss
    Rita!!!

    Essas mensagens deixa a gente pra cima
    são belas mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Vivi!
    Parabéns pelo seu blog, já estou a segui-lo. :)
    Gostei do teu texto, está profundo. Sentido.
    Obrigada pela tua visita, volta sempre que tiveres vontade.

    Gostaria de ser tua Parceira de blog. Topas?

    Como devo fazer?

    Fico a aguardar uma resposta.

    Bom fim-de-semana.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    Web: http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com/

    ResponderExcluir