7 de março de 2013

Num sei, só sei que foi assim... (chicó)


Tem dias que tu pensas que vai ser mais um dia como outro qualquer, fazendo as mesmas coisas e tudo o mais. Mas aqui em Muaná é só dar uma voltinha e dar um dedinho de prosa com um morador antigo que você ouve muitas coisas, talvez absurdas para alguns, mas para minha pessoa é rende um bom assunto por aqui. Bom, estava euzinha cuidando de minha própria vida, quando de repente chegou um senhor com o nome de Clemente Magno, uma pessoa bem simpática e que já foi se achegando e conversando, ele se apresentou como o homem que morreu e voltou do inferno e ainda pegou na barba de São Pedro. Fiquei sem entender, pedi mais detalhes e ele relatou a seguinte história: 


Primeiro deixando bem claro que tenho lá minhas dúvidas quanto à veracidade desse causo. 


Mas como diria Chico Chicó (personagem de Ariano Suassuna em O Auto da Compadecida): "Não sei, só sei que foi assim...!”. 


A mais ou menos três anos seu Clemente foi a uma festa lá pelas bandas de mocajatuba um local de Muaná, passou a noite inteira bebendo e dançando com uma turma de conhecidos, quase já pela manhã resolveram retirar-se para outra direção para poderem continuar com a bebedeira, uma vez que começam a beber não param tão cedo, bem mais tarde o grupo resolveu sair daquele lugar, cada um foi para um lado com a promessa de se encontrarem em um ponto marcado. Seu Clemente querendo encurtar o caminho se embocou pelo mato bem próximo do rio e no meio do caminho simplesmente desabou desmaiando, que trágico sem ninguém para socorrê-lo, ficou ali largado sem vida. Um senhor que percebeu quando Seu Clemente adentrou no mato e não o notou sair pelo outro lado. Preocupado pela demora do infeliz mandou seu filho dar uma espiada e logo depois para sua surpresa, o filho veio correndo dizendo que o infeliz do sujeito estava morto. Pedindo socorro alguns moradores correram para ajudar. O apanharam e o colocaram em um carro que estava passando, por um milagre porque aqui nesta ilha não havia muito carros, hoje ainda dá para contar nos dedos a quantidade de carros existentes na cidade, uma maravilha. Continuando, levaram o defunto para o hospital e lá diagnosticaram que realmente entrara em óbito. 


Fiquei olhando desconfiada, quase que dando uma gargalhada, porem como ele relatava o causo tão confiante em suas palavras, resolvi instigá-lo a contar mais. Perguntei se estava a frente de um morto vivo? Valha-me Deus!!!. “Claro que não” disse ele. Continuando disse-me que seu espírito foi levado por um mensageiro do diabo, chegando ao inferno foi mandado para cima, teria que passar primeiro pelas portas do céu, lá decidiriam para onde iria realmente, descreveu o paraíso como um lindo lugar cheio de montanhas e muita natureza, Contudo São Pedro de uma enorme barba chegando quase até aos pés e muito branca, na qual ele dera um puxão, o expulsou imediatamente dizendo que ali não entraria que o seu lugar seria o inferno. Não teve jeito Seu Clemente acabou retornando ao inferno. Ele mencionou que era de madrugada, mais ou menos três horas da manhã. Voltou ao inferno e se deparou com uma linda diabinha, totalmente negra, O diabão (conforme seu Clemente o chamava) o alertou que não mexesse com capetinha, já que seria ela a tomar cuidado de todo inferno. Seu Clemente apaixonado querendo chegar mais perto quase acaba caindo em um enorme abismo sem volta, poderíamos afirmar conforte a igreja declara que seria o purgatório? Ele não saberia dizer ao certo. O diabão olhou para seu Clemente contemplativo e pausadamente lhe explicou que não poderia ficar no inferno também. Neste impasse de arranjar um lugar para seu Clemente ficar, sendo que nem no céu e nem inferno o quiseram, resolveu mandar seu Clemente novamente para seu corpo e ressuscitá-lo para que o Céu e o inferno pudessem resolver mais tarde para que lugar seu Clemente tiver direito a morar para toda eternidade.

       Clemente magno
  
  E assim foi feito, seu Clemente retornou da terra dos mortos e ficou conhecido como o morto vivo, aquele que foi rejeitado pelo Diabo e por ter puxado a barba de São Pedro não pode entrar no reino dos céus... E foi assim que me contaram... Sem tirar, nem por...








 SERÁ????


Régia (mentiras de Chicó) - O Auto da Compadecida

Imagens do google
Um carinho, um abraço e muitos beijinhos para você que vem aqui.
Dias de muita paz, dias de muita fé.
Que Deus os abençoe e proteja de toda maldade deste mundo.
Meu abraço especial de urso a amiga Sheila.
(Abraço de urso é bem apertadinho e se dado com carinho, ele se torna terapêutico.)