16 de maio de 2013

EU E A UMBANDA...

Laroyê = Salve a Sua Força!


imagem do google
Já faz algum tempo que venho ensaiando para escrever este texto sobre a Umbanda, afinal cresci vendo minha mãe participar desta religião heterodoxa, quando já tinha seis anos fui mandada para a casa de meus avós e escutava o tempo todo a minha avó dizer que era coisa do demônio, já meu avô dizia que não era bem assim e por vezes ouvi esta frase: “Devemos tentar compreender e conhecer para depois tirar uma conclusão.” Na maioria das vezes meu avô se calava para não haver contenda, pois tem pessoas que já tem uma opinião formada e por mais que nos pareça errada devemos respeitar e minha avó era assim, devíamos respeitar sua opinião, pois ela sempre respeitava a nossa. Mas pela cabeça de uma criança passa varias coisas e sempre pensei que minha mãe era adoradora do tal Diabo, não perguntava a ninguém sobre o fato. Minhas tias que iam de vez enquanto nos visitar diziam que minha mãe era macumbeira. Por mais que meu avô disse não é bem assim e mandava elas se calarem e não falarem besteiras, não me explicava o que seria o  não é bem assim. Resolvi ir até a biblioteca e pesquisar sobre o assunto e com mais ajuda de um dos empregados comecei a conhecer o que seria a Umbanda. Então escrevo aqui o que penso que sei, mas me perdoem por saber tão pouco mais sim o essencial para respeitar a esta religião.
Primeiramente a Umbanda não é coisa do diabo, ninguém cultua este ser que em minha opinião não existe e penso que tem muita gente dando créditos a ele, uma figura que inventaram para aterrorizar um povo supersticioso. Qualquer um que faça esta façanha não poderá dizer que pertence a Umbanda, outra coisa que escuto muito é pessoas dizerem que é umbanda espiritista, não confundam as coisas, Umbanda e espiritismo são religiões totalmente diferentes, apesar de terem alguns aspectos parecidos.
Meu avô é espiritista, mais tarde ele me explicou que a Umbanda começou com os índios e depois veio o caboclo. Umbanda quer dizer arte da cura da alma.
Então temos o cavalo ou mula aquele que recebe os espíritos e que nunca é poupado, mas quando o espírito o deixa ele se sente muito bem, na hora conhece toda a dor daquela alma enferma, pois o mal existe, espíritos imundos que se alimenta de energias vibradoras, muitas vezes uma dor de cabeça e dor nos ombros não é muito natural, são espíritos perturbadores que acompanham certas pessoas. Muitas doenças não diagnosticadas pelo homem e é na Umbanda onde muitos são curados, na verdade livrados dos maus espíritos.
Dentro de nós existe o bem e o mal, portanto na Umbanda não existe a branca ou a negra, é o homem que com posse de saber é que fizeram as pessoas acreditar na Umbanda negra para o mal, lembre-se que nossa mente só produz o que acreditamos que exista.
A umbanda pratica o bem, os trabalhos de curas, afastam maus espíritos. Acreditam que as pessoas padecem de equilíbrios energéticos.  Todos acreditam no mal e somente os escolhidos poderão enfrentar este mal e não é o demônio fique bem claro.
Se você já foi a um terreiro para fazer mal a alguém, fique ciente de que este mal estará junto de você porque se o mal que existe dentro de você é mais forte do que o bem, já é uma certeza que seu equilíbrio energético é fraco e seu espírito é ignorante, então todo este mal desejado é voltado para sua pessoa.  Tem também aqueles que fazem despachos em encruzilhadas, na Umbanda se acredita que em cruzamentos retém as piores energias aonde pessoas vão e vem o tempo todo e invocar uma entidade ali com certeza não será um enxu que vem até ali te receber, são espíritos imundos que ficam nestes lugares.   O que se deve enfiar na cabeça é que somos filhos de Deus e se ele deixa algo de ruim permanecer em sua vida é para que aprenda com seus erros, afinal Deus não castiga ninguém, não diga uma coisa destas, somos responsáveis por tudo que nos acontece e se colocar no lugar de coitadinho e dizer que Deus quis assim é um absurdo para uma pessoa dizer só os ignorantes agem desta forma. E só para deixar claro, macumba é um instrumento africano. Diferente dos espíritos educadores que existe no espiritismo no caso de Allan Kardec, para que todos entendam os enxus ou entidades da Umbanda falam errado e nada delicado, eles não gostam de pessoas choronas, eles detestam quando o procuram para recuperar um amor. Um dia estava em um terreiro, fui convidada a participar para ter conhecimento por um empregado de meu avô, O enxu disse bem alto que naquele dia ele estaria atendendo só casos de possessão e se alguém estava lá com a intenção de segurar macho ou fêmea era para se retirar porque ali não se fazia aquelas coisas. Não deixei de achar graça porque muitas mulheres saíram daqui super aborrecidas. O que gostaria de dizer é que posso afirmar que eles estão ali para ajudar e o amor e carinho com que tratam as pessoas realmente sofridas é de extrema humanidade ou espiritualidade, não sei só sei do que presenciei e vivi. Não ingressei a Umbanda porque não me senti preparada ou ansiosa para fazer parte daquela família, um dia disseram-me que encontraria uma resposta... Um caminho.
Gente a Umbanda é um assunto bem polêmico e interessante, se existe tantos tipos de igrejas e suas doutrinas, imagine se na Umbanda também não vá existir, vários tipos de doutrinas e charlatões, aqueles que distribuem papeis nas ruas prometendo o impossível. Minha mãe é Umbandista, não segue a religião como deveria e hoje faz varias coisas que não condiz com a verdade. Posso garantir que não é feliz com o que faz. Meu tio também faz parte e é uma pessoa bem equilibrada e ele sempre carrega em seu bolso três dentes de alho e três pedras de sal grosso, ele diz que afasta os maus espíritos, mas tem gente que carrega pé de coelho e tudo bem. Minha tia Egle mora em Irati- Paraná, ela faz consultas em sua casa e já ajudou muitas pessoas, não aceita dinheiro só comidas, faz cestas básicas e distribui para a comunidade carente e todo ano faz uma grande festa para são Cosme e Damião, já saiu uma nota em um jornal local sobre seu trabalho voluntario a pessoas carentes, sempre ajudava. Ela e meu tio nunca tiveram filhos eu me sentia um pouco filha dele, pois ele ajudou me criar e um dia colocaram em seu portão um bebe e hoje temos o João Pedro na família que eles mais tarde conseguiram adotar legalmente. Presentinho de Deus pelo trabalho em ajudar seus filhos necessitados, eu acho. Sentia-me muito bem quando ia visitar o seu congal ou terreiro. Ela era uma pessoa abençoada, Faleceu em agosto de 2010 com 69 anos. Uma grande perda para todos nós, ela também recebia uma preta velha e tinha um conhecimento sobre a vida fora do comum.
Conheci uma pessoa que recebia o Marabo, esta entidade é muito apaixonada e geralmente a pessoa que o recebe é materialista e quando começa a trabalhar com o Marabo se desprende totalmente do material e trabalha para o bem. Mas para minha decepção era apenas um charlatão se fazendo passar pelo marabo, percebemos quando a pessoa esta interpretando um papel e este foi uma das piores que já vi em minha vida.
Com certeza escrevi demais e talvez para você que já tem uma opinião formada, tudo bem, não escrevi este texto pensando em pintar a Umbanda colorida e sim mostras que em como todas as religiões sejam elas heterodoxas ou não sempre existe o lado bom e ruim, depende da pessoa que a comanda. Os católicos foram perseguidos e os evangélicos também e a Umbanda até hoje é. Este texto talvez não seja fiel à doutrina da Umbanda é somente o que vi e ouvi e demais fundamentos podem ser pesquisados para aqueles que querem ir mais a fundo, eu pôr sempre estou aprendendo um pouco de cada vez. Há muito tempo não convivo mais neste meio, pois estou bem afastada de tudo, o que é uma pena, pois gosto de frequentar lugares que me deixam a vontade sem ficar pressionada para ingressar em sua seita ou religião.  
Pomba gira- protetoras das mulheres e não só das prostitutas como muitos dizem e de todas elas.
Oxum- Nossa senhora Aparecida.
Yasã- Santa Barbara rainha dos ventos e tempestades
Oxalá- Jesus
Ogum- São Jorge
Xangó – São Jerônimo
Iemanjá – Nossa Senhora Imaculada  da Conceição
Filhos de Ogum- São Cosme e São Damião protetores das crianças
Linha dos pretos velhos- muito respeitados, o que ele fala ninguém contraria e é lei, maravilhosos conselheiros.
um dia contarei minha experiencia em conversar com um preto velho sobre o ciume, me deu uma lição de moral, jamais esqueci.

simbolo da Umbanda

Paz e Luz a todos! 

imagem do google


"...a Umbanda não é um grupo de pessoas ignorantes girando em torno de preceitos e ensinamentos vazios que não libertam, não religam ao Pai Celestial. A ignorância mantém os espíritos presos a preconceitos e materialidades que, mais cedo ou mais tarde, darão seus frutos de desilusões, desesperanças e dor”.

desconheço a autoria

Livros para ler e conhecer

O que é Umbanda de Armando Cavalcanti Bandeira e Religiões negras de Edson Carneiro

 O que é a Umbanda   Religiões Negras - Negros Bantos

38 comentários :

  1. Oi Verinha, realmente prefiro não comentar sobre esse assunto. Minha opinião contradiz tudo o que acredita então prefiro não entrar em conflitos (:
    aah, te coloquei na página 'visitas'. São os blogs que eu visito com frequência e recomendo, você esta entre eles ((:
    bjs

    Coruja Essência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lani
      Amiga não teria problema algum em colocar seu ponto de vista, aqui não há discussões e sim aprendizado. Não é só minha opinião que conta. Mas fique a vontade. Agradeço de coração pelo carinho por me colocar em destaque em sua pagina de visitas, gosto muito de seu blog. Beijos e obrigada por estar aqui.

      Excluir
  2. Verinha, quanta sabedoria teu avô tem! Primeiro conhecer para depois emitir uma opinião. Acho a Umbanda uma das mais incompreendidas e por isto carregada de termos que infelizmente se tornaram pejorativos: macumba, macumbeiro...
    Rita Ribeiro, cantora, está com seu novo show do cd TecnoMacumba, que é para provocar esta reflexão e trazer respeito.
    Quando tiver um tempinho, espia lá:

    http://www.youtube.com/watch?v=w_stljZHqps

    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, eu tive a maior sorte do mundo em conviver com meus avós, criaturas cheias de conhecimento, absolvia cada palavras deles.
      Eu simpatizo muito com a Umbanda, Candomblé e Quimbanda, são religiões afro brasileiras mesmo que não se enquadrem na idéia de “religião oficial”, isso é assim porque a minoria pertencem a estas religiões, o que não quer dizer que não mereçam respeito. Gostei muito do vídeo olha só aprendi mais um pouquinho. Obrigada Ana pelo respeito. Beijos.

      Excluir
  3. Interessante te ler e saber mais da umbanda que tem tantas coisas pra nos mostrar. beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Chica, fico muito feliz. Talvez as pessoas ao ler este texto se sintam mais forte para entender que nada nos afeta e que somente nossa mente tem o poder de fazer mal a nós mesmos. Umbanda nada mais é do que uma religião como outra qualquer. Beijos.

      Excluir
  4. Uau, Verinha!!!
    Você fez uma pesquisa imensa... sei muito pouco sobre Umbanda, mas tenho uma amiga muito especial que é umbandista e por todas as coisas boas que ela fez e faz, sinto que ela NÃO PODE CULTUAR O DIABO.

    Muito interessante (e de bom senso) sua postagem!

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Jan já caminhei em muitos terreiros e o que vi por lá é uma grande experiencia, pena que as pessoas se fechem e não queiram ao menos conhecer como eu conheci. Não com certeza sua amiga não cultua o tal do diabo, como os maçônicos também não, crendices populares só isso.
      Obrigada Jan por colocar sua amiga como exemplo. Beijos.

      Excluir
  5. Verinha, acho que temos que respeitar todas as religiões sempre. Não tenho conhecimento algum sobre Umbanda mas gostei de saber um pouco mais aqui. bjs e boa sexta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sergio
      Verdade não precisamos concordar com tudo, mas o respeito tem que existir sempre. Que bom que gostaste do meu texto, ele não é tão rico em detalhes, mas já dá uma boa visão sobre a Umbanda. Obrigada pela visita. Beijos.

      Excluir
  6. Olá!
    Querida amiga Verinha
    Li atentamente...belo texto e pesquisa!
    ...penso que não há lição melhor do que respeitar a todos, especialmente os de crença/religião diferente. Toda religião ( assim como tudo nesta vida ) tem seu lado bom ou ruim. Cabe à cada um saber discernir.Sobre a Umbanda,quase nada conheço...aprendi aqui lendo sua postagem.Em tudo, sempre o acatamento, seriedade e respeito ,além de sincero desejo de aprender ,logo se me fornecem estes requisitos me apresento em qualquer credo.
    Obrigado pelo carinho de sempre
    Boa sexta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felisberto.
      Nas minhas andanças conheci vários tipos de pessoas e crenças, sou curiosa por natureza e sempre tive curiosidade em conhecer a doutrina de cada um, tenho amigos umbandista, evangélicos, católicos, espiritas, mórmons, maçônicos e todos são grandes pessoas de um caráter fora do comum, pessoas que conhecem meu jeito e me respeitam pelo que penso e nunca me obrigaram ou incomodaram pela minha maneira de ser e porque não iria respeitá-los.
      Que bom que pude passar um pouquinho do que aprendi e o desejo de aprender mora dentro de mim, não tem jeito.
      Eu que agradeço o carinho. Beijos.

      Excluir
  7. VERINHA, fui criado na religião católica e me aprofundei o mais que pude nessa religião e uma das coisas que a gente aprende nesse estudo é respeitar todas as religiões. É coisa séria, portanto não acho correto dizer que uma é melhor ou pior que a outra. Todas elas tem a sua profundidade e é importante que se tenha fé. Melhor dizendo, é importante que não se tenha nenhuma dúvida à respeito do que você acredita e coloca acima de sua vida. Portanto, religião a gente não discute.

    Partindo desse princípio, achei espetacular a explicação bem fácil de se entender a respeito da Umbanda. De fato existe um certo preconceito que, na minha opinião, é mais ridicularizado pela mídia. Como a gente não conhece explicações melhores, vai pelo que a mídia diz e cada vez mais me convenço que religião não é assunto de mídia não especializada. Vira bagunça.

    Adorei todos os conceitos que você mostrou e é sempre bom conhecer a fundo essas coisas porque charlatanismo existe em tudo e você citou bem que a maldade está no coração do homem. Então, filtremos o homem que explica esse ou aquele fundamento de qualquer religião. Muito bacana essa postagem, Verinha. Valeu!

    Um beijo no seu coração
    Manoel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Manoel
      Ja fui coroinha e catequista, já participei de cultos evangélicos, já fui a reuniões dos mórmons e frequentei terreiros de Umbanda, candomblé e quibanda, já participei em tendas de temazcal e só não fui em uma reunião de maçônicos porque eles não aceitam mulheres e adorei ir em cada lugar destes, não posso dizer que alguma destas religiões me conquistou, mas merecem meu respeito e posso garantir que não vi nada de estranho nestes lugares, apesar de não concordar com algumas doutrinas e ainda já discuti muito com pessoas, hoje já não faço mais isso porque sei que não valeria a pena estragar amizades por causa de conceitos bobos e sem importância, aprendi de todas as formas entender cada um individualmente. Há pessoas que destroem suas religiões só por estar lá dentro e não há uma que seja falsa ou verdadeira. Não podemos olhar para uma pessoa e julgá-la só por causa de sua religião ou por qualquer outra coisa.
      Manoel você mostra ser uma pessoa do bem, que sabe respeitar seu próximo, merece toda minha admiração. Eu é que digo valeu amigo. Beijos.
      Obrigada pelo respeito a este texto.

      Excluir
  8. Oi Verinha
    Meu conhecimento sobre a umbanda é irrisório. Fiquei impressionada com o bom senso da tua pesquisa. Uma explanação rica de quem narra o conhecimento sem intenção de induzir o leitor à uma crença. Ficou perfeito e você arrasou na escolha do tema.

    Amiga aproveito esta visita para agradecer tuas lindas palavras de conforto. Fiquei emocionada ao ler o que escreveu. Muito obrigada linda querida.
    Beijos e uma ótima sexta feira
    Beijos
    Gracita

    ResponderExcluir
  9. Oi minha linda..
    Eu acredito que o respeito é a base de tudo..
    Eu não frequento nenhuma religião.. apenas acredito em Deus e deixo Ele aqui dentro do meu coração... lugar especial pra Ele..
    Gosto de acreditar que cada um deve seguir seu coração, sendo evangélicos, católicos, seguidores da umbanda, enfim.. o importante é manter o coração puro.. longe da ganância, do ódio, da desunião..

    Seu texto como sempre perfeito..

    Um super beijo no seu coração e uma noite linda.. linda.. viu?

    ResponderExcluir
  10. Verinha, não faz isso comigo não... Eu procuro a maior parte do tempo ser racional até ouvir um atabaque! ahahaha! Brincadeiras à parte, certa vez um Exu me disse que eu já tinha um pé no terreiro.
    Como sabe, minha primeira BC foi tema Espiritualidade, que é um tema que me fascina pela diversidade que há. E recordo muito bem de você ter a mesma gratidão quanto eu à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, os vulgarmente conhecidos como "mórmons", onde aprendi muito de espiritualidade e também a questionar tudo antes de aceitar qualquer coisa.
    Permita que eu faça apenas umas pequenas correções acerca do que sei da filosofia da Umbanda. É que costumam confundir muito as religiões de matrizes africanas (candomblé, umbanda, quimbanda, catimbó...). Minhas correções poderiam até se tornar um post no Lisérgicos, contudo, não o farei por dois motivos: um é que mesmo sabendo que nossos conhecimentos juntos poderiam enriquecer ainda mais este texto, poderia ser interpretado como arrogância de minha parte (porém, quando sabemos algo a mais, acredito que devemos compartilhar, quero que saiba que tem a mesma liberdade para fazer, acerca de qualquer assunto, o mesmo, em meu blogue) e o outro motivo é porque anda meio escasso o tempo para fazer posts que exijam uma boa elaboração e este assunto exige.
    Umbanda e Espiritismo "Kardecista" realmente não são a mesma coisa, mas umbandistas são espiritistas e não, espíritas. Embora, certa vez, o próprio Chico Xavier em um depoimento afirmou que umbandistas acreditavam nas leis espíritas e, portanto, deveriam ser chamados como tal. Há o que é conhecido como Umbanda Branca, uma linha que mistura o Espiritismo de Allan Kardec com a linha "de direita" da Umbanda, ou seja, pretos-velhos, caboclos, linha do Oriente, que trabalham só com curas, não há incorporação de Exus e Bombogiras (estes são os termos corretos para chamar as entidades da linha "de esquerda").
    Exus são guardiões, chamados também de polícia astral. O ofício principal deles é o de lidar com espíritos conhecidos como kiumbas, trevosos. A umbanda acredita, tal como a magia goetia, que é preciso "luz" nas trevas, ou seja, como a polícia atua no nosso cotidiano. Não é qualquer pessoa de bem que entra numa favela para encarar bandidos e sim, pessoas treinadas. Muitos que não estão acostumados a visitar uma sessão de esquerda, se assustam com o comportamento dos Exus, mas como poderia ser diferente seguindo esta linha de pensamento? Já viu polícia falar de modo sutil com bandido? Eles lidam com os "bandidos astrais" e por isso parecem rudes, contudo, pela filosofia da doutrina, este já é um modo de assustar qualquer entidade ruim que pessoa possa estar carregando consigo ao terreiro, que, outra correção, não é o mesmo que congá. Congá é o altar onde ficam as imagens de santos, orixás e onde acendem velas.





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Misericórdia Christian, não tem que pedir desculpas como escrevi em meu texto sei tão pouco e não quis escrever um texto enorme e para quê tio Google se você escreveu perfeitamente, meu avô diria que você é um espírito evoluído e com certeza tens este pé no terreiro mesmo. Que bom te ler e aprender com este seu texto, como você diz um novo post. E as coisas por aqui teria que pegar fogo, brincadeirinha...rsrsrs... Nossa sou super zen quanto ao fato de ser corrigida, não me afeta nem um pouco afinal como escrevi acima: "escrevo aqui o que penso que sei, mas me perdoem por saber tão pouco mais sim o essencial para respeitar a esta religião." Na verdade quis escrever a minha experiência e o que havia aprendido com algumas pessoas. Claro que sempre pensei que a Umbanda veio através dos negros, mas uma criatura amiga insiste em dizer que surgiu através dos Xamãs, por eles terem o dom da cura. O que aprendi foi que o índio contribuiu e muito para a formação da umbanda. O caboclo recebido por Zélio Fernandino de Moraes era o Caboclo das Sete Encruzilhadas, li também sobre ele, mas me ocorreu que ele só tivesse fundado a primeira tenda de umbanda e as suas sete tendas mais tarde. Linda a historia dele. Também a formação da umbanda em 1530 na mistura de ritos religiosos através da chegada do negro da África. Estás certo sobre o congal e terreiro. Lembro-me agora que minha mãe só tinha um congal e não um terreiro que era o sonho dela ter um, mas parece que não é como eles querem.
      O pouco tempo que passei em um terreiro assistia a tudo sem me envolver, ao contrario de você um preto velho me falou que não servia para fazer tal serviço por ser muito verde e espevitada. Na época deveria ter uns 16 anos, mas minhas andanças eram com o conhecimento de meu avô e não da minha avó catolicissima... rsrsrs. O terreiro aonde eu ia se mantinha com a ajuda do povo através de doações e nada tão grandioso quanto a que vemos hoje. Sentia muita paz quando ia lá, por viver sempre sozinha eles foram por um tempo meu refugio depois que meu avô faleceu, meu cúmplice.
      Até um tempo tinha o habito de tomar o banho das sete ervas, mas como aqui é quase que impossível encontrar todas então abandonei.
      Christian não seria presunção nenhuma em você fazer um texto explicando melhor, pois penso que este preconceito contra esta religião tem que acabar, pois é maravilhoso acreditar em alguma coisa, sinto que preciso achar um caminho para ter uma religiosidade em minha vida, mas aquela que mais me cativa é a Umbanda e o espiritismo, onde há muito mais humanidade e estes sim te aceita como você é, indiferente de posição ou sexualidade. Pena que muitos tenham medo de até mencionar o nome de Umbanda.
      Não sabia que existiam maçons que aceitavam mulheres no grupo, só que também agora estou mais sossegada, mas minha curiosidade não tem fim, quem sabe um dia...
      Valeu parceiro e obrigada por estar aqui comentando meu texto e pela paciência em lê-lo. Vou imprimir e ler mais vezes, super interessante. Fico admirada pelo seu conhecimento e com certeza vou ler os livros indicados, quem sabe um dia não abrace a Umbanda como minha religião.
      Abraços.

      Excluir
    2. Caraca... Eu acho que vou é mandar todo mundo pro terreiro, minha mãe, espírita kardecista, não vê a hora de visitar um e adivinha de quem é "a culpa"? ahahah!
      Bem... Das denominações que visitei, achei a Umbanda das mais fascinantes, porque é bem democrática, não é como no Kardecismo em que há uma burocracia imensa até e SE você chegar a frequentar a mesa mediúnica. Na Umbanda é de boa, você tem contato direto com "as entidades" já de cara, aliás, certa vez ouvi que a Umbanda seria a UTI espiritual e o Centro Espírita o hospital. Há muitos que passam pela Umbanda primeiro.
      Eu tenho realmente muito para contar, pois passei por rituais como ponto de fogo com Exus, entre outros. Talvez eu ainda escreva um livro a respeito, visto que a Umbanda é muito ampla para um post e você deve ter sentido isso. rs.
      No momento, não me sinto como você, mas já me senti, esta parada de querer buscar um lugar para pertencer e rituais contribuem na fé, seja de que doutrina for. Porém, quando a doutrina trata a todos por igual, como você bem falou, sem distinção de classes, orientação sexual, culpas infundadas, podemos nos sentir muito melhor. Penso que o objetivo das doutrinas deva ser sempre o de libertar e não oprimir, aprisionar. Você tem que sair bem de lá.
      Agora fazendo uma correção a mim mesmo, o primeiro livro que indiquei errei o título e o autor, (foi mal1) é: Para conhecer a Umbanda de Ademir Barbosa Junior. O outro é do Robson mesmo.
      Como fui mais atraído pro lado esquerdista da coisa, rs, insisto em recomendar Rubens Saraceni, é fascinante a trajetória dos Exus e rompe muitos preconceitos.
      Li o comentário da Ana Maria e só queria deixar a ressalva, se entrar em um terreiro que permita o mal, FUJA, NÃO É UMBANDA, É QUIMBANDA CAMUFLADA. Isso eu defendo por ter conhecimento de ambas.
      E ser filho de Obaluaê, se eu fosse umbandista, consideraria um privilégio. O Exu que fez meu ponto trabalha com esta linha.
      De novo, falei demais.
      Qualquer dúvida, se eu puder ajudar e se eu tiver alguma, também venho perguntar. Não sou um espírito evoluído, apenas alguém ávido por conhecimento.

      PS: A Umbanda pode ter vindo do Xamanismo, não discordo pelo fato do Caboclo das 7 encruzilhadas (para ver como há um mito errôneo acerca das encruzilhadas)contudo, é uma religião totalmente sincrética, há hinduísmo, magia, pajelança, espiritismo, catolicismo e até homeopatia.

      Excluir
    3. Imagino você conversando com sua mãe, atiça mesmo a curiosidade em conhecer, pois é fascinante esta religião. Também achei a Umbanda por não haver regras e pela aceitação e sim serem um espaço livre que não olham para seu exterior e sim o interior, eles sabem direitinho quando estas precisando de ajuda, uma palavra e conselhos tão sábios e na linguagem da gente sem frescura alguma. Com certeza um post é muito pouco para falar ricamente sobre a Umbanda e penso que você tem conhecimento de escrever um livro sim, seria esplêndido.
      Quanto mais conheço as religiões, pois há uma diversidade delas volto a umbanda e ao espiritismo como um caminho a conhecer e se aprofundar muito mais, vejo tanta hipocrisia e falta de humanidade nas demais e não me conquista nem um pouquinho, Na igreja de Jesus Cristo dos Santos do Ultimo Dia, até por um bom tempo fiquei por muitas duvidas e deixei os missionários malucos pois me custava muito a crer em uma outro livro escritos por outros apóstolos. Então fiquei algum tempo estudando e conhecendo um pouco mais desta igreja. O tempo que fiquei por lá aprendi muito sobre a importância da família e a cuidar do corpo e da alma com responsabilidade e respeito. Adorava fazer em casa a noite familiar.
      Mas ainda sim a Umbanda me conquistou muito mais, não houve duvidas e quando havia um questionamento me era respondida de maneira muito clara e através de um preto velho me apaixonei e fiquei muito mais tempo, mas como disse não me envolvendo totalmente, me era um refugio e lá aprendi a ser menos egoísta. Não consigo me expressar direito, mas de coração lá foi onde senti paz. Uma vez alguém disse que se entrar para trabalhar em um terreiro, nunca mais sai, acredito muito nisso, não é que não pode sair e sim a gente mesmo que não quer mais sair, porque ela nos conquista de uma tal maneira que queremos ficar sempre por ali conversando e convivendo com aquele povo alegre e caloroso.
      Quanto as encruzilhadas percebi o quanto que tenho que ler, já estou providenciando os livros, fiquei super curiosa.
      Nossa... Christian esse nosso papo já renderia algumas paginas de um livro... rsrsrs, na verdade estou adorando trocar informações.
      Obrigada mais uma vez pela atenção. Abraços.

      Excluir
  11. A umbanda não veio diretamente dos índios, é um equívoco. Veio de um medium chamado Zélio que pela teoria da Umbanda, recebeu o espírito de um caboclo que não lembro o nome agora, mas pode ver no "tio" google, como você diz, rs, e fundou a religião.
    Terreiros que praticam o mal, cobram por trabalhos ou fazem "amarrações" que afetem o livre-arbítrio de uma pessoa NÃO PODEm SER CHAMADOs DE UMBANDA E SIM, QUIMBANDA. Infelizmente, muitos da quimbanda escondem-se atrás do nome da umbanda para proveito próprio. A Umbanda é pura caridade, não cobra nada. Quem mantém o terreiro são os médiuns, nunca os frequentadores.
    Sobre as encruzilhadas é outro equívoco vindo da Quimbanda achar que há todo mal ali. Exus são guardiões e divididos em diversos exércitos conhecidos como falanges, portanto, há sim os que cuidam das Encruzilhadas, da Calunga e Catacumbas (cemitérios), entre outros. São chamados também de "povo da rua".
    Não tive a mesma percepção de que as entidades "falem errado" onde frequentei, tive contatos com Exus que tinham um vocabulário muito bem elaborado, por serem trabalhadores da magia conhecida como Goétia, vinda da Europa.
    Eu recomendo para conhecer melhor a teoria os livros "Conhecendo a Umbanda" e "Tambores de Angola" do autor Robson Pinheiro. Para iniciantes conhecerem melhor sobre os guardiões (Exus e Bombogiras) e suas reais funções, recomendo o autor Rubens Saraceni, em especial o livro O guardião da meia-noite.
    Acerca da confusão entre Exus e demônios, foi algo proposital vindo de outras religiões de matrizes africanas que os escravos usavam (como chifres, tridentes, tradição que perpetua até hoje, talvez também pela perseguição tão atual) para assustar os seus senhores e poderem praticar em paz suas crenças. A Umbanda acabou adotando isto, pois sabe-se que ao contrário do que muitos pensam, não vem da época dos escravos, é uma doutrina bem recente.
    Afff! Escrevi demais, acabei fazendo dois posts, rs. Mas espero ter esclarecido um pouco mais a respeito desta crença que, mesmo tendo certo ceticismo, acredito um pouco na magia e tenho muito respeito e admiração. Aprendi muito a procurar ser uma pessoa melhor em pouco tempo de terreiro. Muito mais do que aprendi anos dentro de certas denominações "aceitáveis" pelo senso comum e que ao invés de propagarem o amor ao próximo, propagavam o preconceito uns com os outros.

    PS: Acerca da maçonaria, há lojas mistas, onde aceitam mulheres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou meio estranha a posição dos posts, então vou prosseguir aqui. Você resumiu o que sinto em uma só frase: "Vejo tanta hipocrisia e falta de humanidade nas demais e não me conquista nem um pouquinho". Sei como é, desanima. Lembro que comentei com uma parceira que fui a uma destas igrejas protestantes tradicionais onde mulheres usam saias e cabelos longos e, respeito a crença de todos, fui convidado e queria conhecer. Imagine a vergonha que passei no momento em que entrei e TODOS os olhares se voltaram pra mim só porque eu tinha cabelo longo (na época atingia a cintura, ganhava de muitas delas, rs). A maioria, infelizmente e sem generalizar, olha muito mais o externo do que o interior da pessoa, que é o que realmente importa.
      Acerca da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, tivemos os mesmos ensinamentos (não cheguei a participar da tal Noite Familiar porque nenhuma das famílias aceitava o "mormonismo"), mas posso dizer que o que aprendi de bíblia, foi com eles, com um objetivo não muito nobre: enlouquecer os missionários com meus eternos questionamentos! ahahahah! Mas valeu a pena, ainda tenho amigos de lá que tenho quase certeza que serão para uma vida.
      É interessante como todo umbandista que conheço tem um fascínio muito grande por pretos-velhos, eu já fiquei muito mais fascinado pela linha de esquerda, em especial os Exus, talvez por ter passado por rituais que foram muito importantes para mim.
      Hoje, estou bem na minha, mas se for optar por uma crença, tampouco tenho dúvidas de que será a Umbanda.
      E POR FAVOR LEIA OS LIVROS DO RUBENS SARACENI, ahahah! Você vai entender muito melhor a linha de esquerda, tão discriminada e deturpada pela quimbanda.

      Excluir
    2. Oi Christian
      Eu gosto da Pombo-gira, tenho um grande respeito por elas.Ela é o único enxu feminino, não é?
      Uma vez ouvi falar que ela era a mulher dos sete enxus e por esta razão a chamavam de prostituta e protetora das demais e até minha mãe a recebia, mas como todos os outros enxus ela era executoras da Lei e do Karma. Pode me corrigir e tem também os enxus mirins também não tem? Há Christian, não tive tempo de ir até uma livraria porque o tempo foi curto em Belem, mas na próxima semana estarei indo novamente, renovar minha carteira de motorista, então vou procurar os livros sim e se achar algo interessante te conto, agora estou bem interessada em conhecer mais, sabe aquela sede do saber que a muito tempo estava estagnada, pois fico assim ao ler seus comentários. Eu tenho esta quedinha por pretos velhos pelo conhecimento da vida e me fascina por demais. Mas não deixarei de conhecer mais pode ter certeza e iremos conversar muito sobre este assunto. Quero poder defender a Umbanda, mas preciso de conhecimento e se resolver entrar não quero escutar de um preto velho que sou verde,kkkkkkkk.
      Há quanto tempo que não vou a um terreiro, nossa deu-me até um momento nostálgico.
      Um grande abraço.

      Excluir
    3. Existem diversas Bombogiras de muitas falanges, assim como os Exus, das almas, da Calunga, das 7 catacumbas, entre outras.
      Realmente, Bombogiras são chamadas na Umbanda de Exu Mulher.
      O trabalho delas é mais voltado para as mulheres, são as protetoras de esquerda das mulheres, contudo, como bem falou, são executoras da Lei e do Karma e também desfazem demandas e outros tipo de magia que foram feitas para o mal. Muitas Bombogiras realmente foram de cabaré, no entanto, a generalização é muito perigosa. Algumas foram mulheres sofridas, como é o caso da Maria Mulambo, a história de vida dela foi das mais trágicas que conheci no terreiro. Era filha de um cara de posses que não aceitava seu namoro com um rapaz pobre pelo qual se apaixonou, ela então fugiu e foi encontrada pelos capangas do seu pai, que a violentaram diversas vezes e mataram seu namorado em sua frente. Estava grávida e perdeu o filho que esperava. Mal conseguiu sobreviver porque nem na prostituição a aceitaram, de tão "mulambenta" que era (daí o seu apelido) e faleceu um tempo depois. Diz a lenda que ela protege as pessoas em situação de rua.
      Os Exus Mirins não tenho muito conhecimento, sei que são a "linha de esquerda" dos Erês (conhecida também como Ibejada, que incorpora na linha de direita em dia de São Cosme e Damião), trabalham em parceria com o povo da linha de esquerda.
      E é natural, todos que estiveram na Umbanda ficaram fascinados pelos pretos-velhos devido a sabedoria e serenidade que passam. Como não me identifico muito em sabedoria e principalmente, serenidade, da linha de direita eu gostei bastante dos Caboclos, fortes, guerreiros, falam com firmeza.
      Para iniciar seus estudos, da linha de direita recomendo o Tambores de Angola e Para conhecer a Umbanda, contudo, O guardião da meia-noite do Rubens é o livro ideal para quem quiser compreender a missão que a doutrina acredita ter os Exus e as Bombogiras. Recomendo totalmente.
      Outra coisa: você citou o banho das sete ervas. Tenho certeza que conseguirá as ervas se visitar um terreiro, eles trabalham com caridade e certamente não irão lhe negar.
      E sinceramente, não acho que você esteja verde não. rs
      Abraço.
      Foi legal encontrar alguém aqui na blogosfera para debater sobre o assunto, num país onde o preconceito com as próprias origens (afinal, a Umbanda é uma religião brasileira) impera e a teoria judaica-cristã prevalece, é meio difícil dialogar sobre assuntos diferentes sem cair na mesmice.

      Excluir
    4. Eu é que o diga, sobre encontrar alguém que tenha tanto conhecimento sobre a umbanda e fico feliz só por saber que exista mais pessoas que acreditam como eu que a Umbanda é coisa séria, casa de gente do bem e pessoas felizes em suas convicções. Tenho um grande respeito e com este nosso papo lembrou-me de dias felizes ao lado de pessoas que me ajudaram a superar minhas perdas, acredito que o ensinamento me fez uma pessoa forte, pois nada me derruba. Posso me decepcionar com as pessoas, mas não fico ruminando por muito tempo, tudo que for para ser meu ninguém tira.
      Mas infelizmente um bando de pessoas que se acham no direito de julgar, sempre vão estar por ai fazendo lavagem cerebral nas pessoas e ainda em nome de Deus.
      Por aqui o que pude perceber terreiro de Umbanda não existe, algumas cartomantes e alguns charlatões com seus terreiros. As pessoas da cidade é bem preconceituosos e as pessoas de bem não se envolve com estas coisas, fico de cara com algumas pessoas, o quanto são fechadas e nem querem falar sobre o assunto que já se benzem..rsrsr
      Parceiro ainda voltaremos a conversar sobre o assunto, vou comprar os livros e qualquer duvida te procuro. Um abraço.

      Excluir
    5. Interessante que foi exatamente assim que aconteceu comigo. Hoje ainda trago comigo as "marcas" da Umbanda, que é o de não baixar a cabeça, não me deixar manipular e sentir que sou muito mais forte do que posso imaginar e raramente algo me derruba e, se acontecer, me levantará com mais força.
      Acho incrível esta doutrina.
      Quando for a Belém (lá deve ter terreiros sérios, fácil de descobrir, eles não cobram) você pode pedir as ervas.
      Só não consegui, me desculpe, conciliar o pessoas preconceituosas ao pessoas de bem.
      Abraço e até mais!

      Excluir
    6. Eu que peço desculpas parceiro, não me expressei bem, o que quis dizer é que os preconceituosos se julgam pessoas de bem e na opinião deles quem se mete com a Umbanda são somente pessoas do mal, bandidos, prostitutas, vagabundos e por ai vai. Mas já falei aqui que a Umbanda não escolhe pessoas, todas são bem recebidas e que muitas pessoas conceituadas frequentam os terreiros (um amigo meu radialista se casou em um terreiro e foi maravilhoso fazer parte), mas às vezes aborrece viu, parece que estou conversando com múmias, enroladas em seus preconceitos.
      Já vi casos de pessoas irem procurar o mal no terreiro que frequentava e sair de lá totalmente reformadas e com vergonha do que foi pedir lá.
      Bom você sabe que tudo vem do que pensamos de nós mesmos e o mal só nos afeta se permitimos. Temos mais força do que possamos imaginar. Já vi minha mãe (apesar dela usar a umbanda como forma de ganhar dinheiro) se sair muito bem em alguns trabalhos. Já fui a cemitérios com ela só por curiosidade, sempre dizia que a atrapalhava e tirava suas forças por este motivo não mais deixou ir junto, não acredito que tinha este poder. Claro que fui aconselhada no terreiro para não ir a lugares assim sem ter uma proteção. Como em Belém vamos bem rapidinho, não posso dizer com certeza, mas vou pesquisar.
      Valeu Parceiro até mais.

      Excluir
    7. Agora entendi o que quis dizer. Tipo o Feliciano dizendo que "pessoas de bem" só as evangélicas. Um exemplo, somente.
      Sei bem como é este tipo de preconceito, pessoas chamam de "macumbeiros" (quando macumba é apenas uma árvore) quando deveriam denominar "quimbandeiros" ou "magos negros", pessoas que usam a magia com intenção de praticar o mal ou alterar o suposto livre-arbítrio que temos.
      A Umbanda não escolhe pessoas e isto me fez lembrar de um certo alguém que dizem que já esteve aqui entre nós e que comia com "vagabundos", andava com mulheres "adúlteras", prostitutas e de como seus seguidores agora tiveram a capacidade de "evoluir" muito mais que esta pessoa... Tempos modernos, instituições modernas. É preciso evoluir, quando LHES CONVÉM.
      O terreiro que frequentei também era frequentado por pessoas que são consideradas pela sociedade como bem conceituadas: engenheiros, assistentes sociais, médicos. Pessoas, acima de tudo, esclarecidas.
      Nunca vi um casamento na Umbanda, deve ser muito show. Sei da cerimônia do Amaci, aliás, soube agora, pois nem sabia da existência, por causa de um amigo que fez seu Amaci (que é a entrada oficial na doutrina) na semana retrasada. Como não pude ir (gostaria muito), acabei indo na curiosidade e fui no youtube. ahahah! É uma cerimônia bem bonita.
      E isto de pessoas irem até a Umbanda em busca da prática do mal, houve um caso com um Exu (eu não estava presente, me contaram) de uma irmã que não gostava da cunhada e foi pedir ao Exu "ajuda" ao seu irmão, que ele estava com um grande problema. Diz que o Exu (eu sei qual deles é pela descrição dada, um muito calado, mas quando fala... rs) olhou para ela e disse que, realmente, o irmão tinha um grave problema: Uma irmã ENCALHADA (coloquei o CAPS LOCK para ter uma ideia que parou o terreiro para ser ouvido) INFELIZ E QUE DEVIA CUIDAR DA SUA PRÓPRIA VIDA AO INVÉS DE INTERFERIR NA DO IRMÃO QUE ESTAVA MUITO FELIZ E COM UMA MULHER APAIXONADA POR ELE. Dizem que ela saiu com o rabo entre as pernas depois desta, rs. É, acho que eu tenho material mesmo para um livro, há coisas surreais.
      Você lembra o nome da Bombogira que sua mãe incorporava? Eu li muito, por isso pergunto, talvez conheça a lenda dela. Acerca destes rituais no cemitério, o "tirar as forças" que ela queria dizer era a concentração. Segundo uma médium da Umbanda, há realmente coisas que é preciso que sejam feitas somente entre o médium e a entidade, sem interrupções ou nada que as distraia.
      A proteção que você diz são os contra-eguns, certo? Ou banhos? Eu ainda tenho dois contra-eguns que ganhei desta mesma médium. rs.
      Mesmo não estando na Umbanda não irei jogá-los fora, acho bem interessante todas as histórias (ou estórias) de cada Orixá e entidades e seus rituais. Curto magia, seja Wiccana, Ocultismo goetia, de matrizes africanas... Sempre provocam minha curiosidade.
      Valeu parceira e até!

      Excluir
    8. Bom Christian
      Para falar a verdade nunca fui muito achegada a minha mãe, pelo simples fato de ela ter desaparecido por oito anos e depois reaparecer novamente. Na época quando ela se foi, tinha seis anos, a turma da reconciliação me fizeram aceitá-la, mas nunca o fiz de coração sempre tinha algo que me impedia de me entregar totalmente. mas esta historia é compridaaaa. As vezes que tentei então resolvi conhecer o mundo dela e pelo que sei ela recebia uma cigana, tenho um contra-engu com três búzios que ganhei dela, mas não me sinto a vontade, não sei te explicar pois quando estava perto dela meus ombros pareciam que iam despencar, ficava pesada, só os banhos me acalmavam. Ela me dominava de uma forma que me fazia me sentir muito mal mesmo, sempre me senti assim e no cemitério ela vei me dizer isso, não sei porque ela agiu assim e nunca mais me deixou ir.Tenho um patuá de proteção, um saquinho preparado em um terreiro de um amigo onde fui ao casamento, ele recebe o enxu seu marabô, gostava muito dele e foi meu amigo e confidente quando me separei, então você pode perceber que todas as épocas em que não estava bem de uma forma eles apareciam em minha vida sem eu procurar.A umbanda sempre aparece em minha vida do nada quando vejo já estou dentro de um terreiro de umbanda.
      Já conheci um terreiro que também recebia o marabô, mas não foi nada do que já havia vivenciado e não me convenceu e não voltei lá.Como já fui em um terreiro em Curitiba e chegando lá fui levada a conversar com o guia e ele me disse "que bom você aqui estava com saudades" e era a primeira vez que havia ido lá, era marabô conversando comigo. Foi incrível, fiquei arrepiada, mas nada de perguntas.
      Criatura deverias escrever sim um livro, seria uma riqueza de conhecimentos e sabes bem o quanto é procurado estes tipos de livros, ajudaria muitas pessoas.
      Minha mãe lia cartas, fazia banhos, ia nas casas fazer defumação e um dia ela pegou uma vela e ficou passando no vilson, ele é totalmente descrente com qualquer tipo de religião, mas quando começo a contar minhas passagens por tantas religiões ele ouve com respeito, mas não acredita nada disso. Minhas tias morrem de medo da minha mãe e o pessoal onde trabalhava ficavam me perguntando se era verdade que minha mãe era uma bruxa, eu dizia que sim, porque não adiantava querer explicar algumas coisas para eles, totalmente idiotas. Há e minha mãe cobrava tudo, menos benzimentos em crianças. Apesar do que ela fez e do jeito que ela é, eu já vi muitas pessoas ficarem bem com seus trabalhos. Mas ultimamente ela estava muito fraca e quase sem fregueses como ela os denominavam. Já vi ela fazendo pequenos caixões e já presenciei ela caçando sapos, fazia trabalhos bem pesados. Mas nunca senti medo, nunca mesmo, pois quando era pequena, uns dez anos meu lugar preferido para brincar era o cemitério que tinha próximo de casa, acredita? sempre fui uma criança sozinha e não sou traumatizada por isso, nunca fui mesmo.
      Até mais, fiquei super aliviada por estar comentando aqui.


      Excluir
    9. Aqui um terreiro que já frequentei, fui levada lá por minha mãe, o senhor Antônio era muito amigo dela, depois ia sozinha porque eles se desentenderam, mas mesmo assim sempre fui muito bem recebida. Depois que vim para cá perdi contato. Pelo que soube eles já estão bem novamente,kkkkkkkk
      http://www.flogao.com.br/tendadamagia/81387959
      Não fechava com ele, pois este marabô era super diferente do que já conversei, mas sempre me sentia bem ali.

      Excluir
    10. Primeiramente, não sabia e nem é da minha conta, sua história com sua mãe, porém, o que posso lhe dizer é que estes trabalhos pesados que descreveu NÃO FAZEM PARTE DA UMBANDA. Sua mãe pode ter se iniciado na Umbanda, mas, como muitos, para lucrar (visto que cobrava) passou a tomar o rumo da QUIMBANDA. O que é lamentável, porque a lei do retorno, ao menos isto, eu ainda acredito.
      Quanto ao Exu Marabô, já li algo sobre ele, mas sei pouco, contudo, na Umbanda acredita-se que cada pessoa, assim como tem um anjo guardião, também tem um Exu. Provavelmente o seu é este pela filosofia umbandista. Temos os dois lados, tipo, a luz não faria sentido se não houvesse as trevas e segundo a doutrina, há "serviços" que seres da luz não fariam e isto cabe aos Exus e Bombogiras.
      Interessante isto de você dizer que a doutrina surge nos momentos que precisa, você tem um consolo sempre.
      Eu penso que sua mãe fez foi uma salada de doutrinas, talvez tenha começado no que chamam de Umbandomblé (a mescla da Umbanda com Candomblé, pois os contra-eguns da Umbanda genuína não se usam búzios) e depois, pela vaidade, caiu no rumo quimbandeiro. Apenas uma suposição, tomando por base o que me contou.
      Na umbanda é proibido o sacrifício de animais (diferente do candomblé e quimbanda), contudo, do Candomblé não opino, por ter pouco conhecimento.
      Para quem quer seguir, há de se ter que tomar um cuidado extremo contra o charlatanismo. E charlatões podem até acertar e curar com seu poder mental, no entanto, não podem sujar o nome de uma doutrina por isso ou o sentido de caridade que é a base da Umbanda perderia todo o sentido. Se há cobrança em dinheiro, não é Umbanda, afirmo com total conhecimento de causa.
      Quanto a ser "bruxa", as Wiccanas não têm o menor problema em se autodenominarem assim. Há ainda quem tenha a mentalidade da Idade Média e, se pudessem, queimariam as "bruxas" ainda. ahahah!

      Excluir
    11. O que me deixa triste nesta historia é o fato de que quis contar a ela minhas experiências antes de conhecê-la e achei fascinante nos duas termos interesses por esta espiritualidade como se estivéssemos ligadas o tempo, mas foi pura ilusão ela não aceita e faz deste Don que tem de ajudar como forma de profissão, senti uma grande diferença de um senhor que era o dono do terreiro onde frequentava, totalmente diferente, eles eram humildes e se sustentavam com a ajuda de quem desejasse ajudar, meu avó me deixava levar varias coisas para lá e acredite nunca me senti tão bem em minha vida, te digo com certeza que foi a melhor parte de minha vida adolescente até meu avô falecer ,termos que vender o sitio e nos mudar para Curitiba cidade onde nasci. Na real para ser mais franca minha mãe tem uma personalidade muito forte e é daquelas pessoas com a mente fechada que não aceita entrar nada mesmo, o que ela fala é lei. Então fui vendo até onde que poderia ir e por fim resolvi me afastar não tínhamos ligação alguma com o fato de que a Umbanda não condizia com o que ela fazia, conheci este lado totalmente negro dela, não de outra coisa. Tem tanto a dizer que com certeza daria um livro de vinte volumes, uma saga de família. Minha mãe ficou muito bem de vida e hoje não esta nada bem.
      Como minha avó morava em um sitio, não tendo médicos por perto, era a parteira da região, fazia remédios caseiros e fazia alguns benzimentos, dizia que minha mãe tivera este mesmo dom de ajudar a curar, meu avô índio conhecia todas as ervas e fazia garrafadas para vários tipos de doenças. Talvez minha mãe vivendo a este meio, tenha confundido as coisas e se metendo em terreiros de candomblé e com total falta de conhecimento e até caráter tenha visto uma ótima oportunidade de ganhar dinheiro, não sei se foi realmente isso que aconteceu, mas acredito que seja. provavelmente não aproveitou o dom que tinha e não aceitou viver na humildade.
      Estava lendo sobre o candomblé e embolei meu cérebro, dependendo do país ou região é seguido de uma maneira, cultuam os orixás e Voduns, essa religião sim parece que foi trazida da áfrica, mas é cultuada em diversos países. É incrível como a comparam a quimbanda e candomblé, apesar deserem completamente diferentes, ao menos para mim.
      Eu não sei se o enxu marabo seja meu guardião, mas a cada lugar que fui ele sempre estava em destaque. O que sei me corrija se estiver errada, marabo é um enxu e pelo que já li os enxu não atendem frequentadores, pois não tem autorização para isso e quando isso acontece pode-se dizer que é terreiro de quimbanda camuflada de Umbanda. Já ouvi que enxu são marginais do astral o que as pessoas estão totalmente erradas. Li também que eles são convocados para ajudar nos trabalhos a desmanchar magias do mal e muito mais.
      Sr Marabo é um enxu quieto, gosta de charutos e bebidas finas. Todas as encruzilhadas de trilho de trem são cuidadas por este enxu. Trabalha na linha negativa de Oxóssi serventia do Caboclo Arranca Toco (que em vida foi um índio), ele tem palavra e honra. No candomblé existe o marabo toquinho que não tem nada a ver com o da umbanda.
      Há Christian se este povo pudesse, não duvidaria que haveria a caça as bruxas e acho que seria uma a ser queimada, tenho uma carranca na frente de casa, uma bem feia, que o povo se assustam quando veem aqui em casa e me olham esquisito, dizem que é coisa do Diabo, posso com isso?,kkkkkkk, mas nada a ver pois ganhei de um amigo muito querido( detalhe ele é maçônico), amei ela de cara e a trouxe lá de santa Catarina.

      Excluir
    12. Verinha, esta parada com sua mãe não deve ser fácil, porém, acredito que você compreendeu que ela "desviou" e, a lei do retorno sempre vem e parece-me que já está vindo. Certa vez me disseram que sentir mágoa não é errado, por sermos humanos, rancor é que é perigoso, pois instiga a vingança.
      Mas a história de sua família em si é interessantíssima! Eu vi um documentário (não lembro se na Discovery ou Net Geo) que atualmente as benzedeiras estão praticamente extintas. Há apenas algumas ainda na Amazônia e em algumas outras regiões do Norte / Nordeste do país.
      Eu acredito que sua mãe fez uma salada entre a Umbanda, a Quimbanda e o Candomblé. Não culparia o Candomblé, até por ter pouco conhecimento.
      Existe uma vertente denominada de Umbandomblé, que é a mistura da Umbanda com o Candomblé, porém, não faço a menor ideia de como funciona, visto que são doutrinas apesar de parecidas, muito distintas nos rituais. O Candomblé não tem consultas com incorporação até onde sei, apenas se comunicam com os Orixás pelos búzios.
      Já os "búzios" da Umbanda, seriam os médiuns. Só que médiuns não recebem Orixás tais como Oxossi, Iemanjá e sim, entidades da linha deste Orixás: caboclos, pretos-velhos, exus e daí toda esta confusão.
      O Candomblé é complexo mesmo e pelo que eu li, esta doutrina sim é realmente africana, a Umbanda é brasileira. Tem também o Catimbó, que se não me engano é liderado espiritualmente por uma entidade denominada Zé Pilintra e que é reconhecido atualmente como um Exu em terreiros de Umbanda.
      E sim, vou lhe corrigir, Exus podem sim ter contato com a "assistência" (os frequentadores), são as chamadas "giras de esquerda" (as que mais gostei de ir, rs), contudo, há a denominada "Umbanda Branca" e alguns terreiros que não permitem.
      Onde frequentei, os Exus seriam os que se denominam de Exus doutrinados, ou seja, são guardiões. A missão deles não é de fazer trabalhos de amarração (como ocorre na Quimbanda), não há cobrança em dinheiro, há apenas passes da maneira deles, aprendizados e eles tem autorização sim para falar com os frequentadores (repito, dependendendo do terreiro) e são o que chamam de "polícia astral" (acho que já falei sobre isto antes). Os únicos "trabalhos" que fazem seriam o de desmanchar "trabalhos" de feitiçaria, magos negros, entre outros.
      Há um livro que diz que Exu é um ponto de luz nas trevas, eles comandam as trevas levando para onde devem estar os espíritos denominados trevosos.
      Claro, isto tudo para quem acredita e, embora, como eu disse, esteja mais "sossegado", há coisas sobrenaturais que não tem como negar e que já me aconteceram, em várias denonimações, não só na Umbanda.
      A maçonaria é algo que considero interessante e gostaria muito de saber mais a respeito, até onde sei, rola magia também. Mas não posso afirmar por não ter conhecimento.
      E você tem razão, os Orixás do Candomblé não parecem ser os mesmos da Umbanda, tanto que nos búzios, quando uma pessoa quer saber seu orixá, se tirar no Candomblé sai um e na Umbanda outro.
      E tem razão, tem um pessoal que se pudesse tacar fogo em muitos, faria sem hesitar e não só por conta das crenças. ahahahah!
      Abraço parceira!

      Excluir
  12. Olá Verinha, querida amiga.

    Espero que estejas bem. Saudades de ti. :)
    Acerca da Umbanda, confesso ser ignorante. Não tenho conhecimento para falar sobre o assunto. O que tenho ouvido falar é em terreiros, amarrações, pais e mães-de-santo. No entanto, fico contente por teres trazido aqui um tema que trouxe algum conhecimento para todos.
    Obrigada.

    O Freddie, a Mammy e eu mandamos-te muitos beijinhos,

    Cris Henriques

    https://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Verinha querida


    Adorei o novo layout do blog.
    Ficou lindo.

    Beijos e uma semana cheia de luz

    Ani

    ResponderExcluir
  14. Amiga Verinha, confesso que fiquei colada a ler o seu texto até ao fim, adorei! Aqui em Portugal não existe Umbanda, pelo menos que eu saiba, mas sempre ouvi falar e que era coisa má, que faziam mal às pessoas nos terreiros e que tinha gente que lá ia encomendar trabalhos para fazer mal a outras pessoas. Eu nunca acreditei muito nessas histórias, por isso quando cresci fui procurar informação sobre o assunto, li de tudo, quem diga muito mal e quem diga bem. Eu acredito que fazer o mal é fácil, difícil é fazer o bem, por isso seja umbanda ou outra crença, sempre existirá pessoas que queiram fazer o mal, sempre existirão más pessoas a tentar prejudicar as raízes boas de cada crença, como é o caso da umbanda. Eu gosto da Umbanda e da sua história, da sua riqueza e da sua simbologia. Eu sou filha de Obaluaê e apesar de muitos não gostarem do meu orixá, eu adoro. Sabe Verinha, gostei mesmo de ler a sua experiência com a umbanda, é como se estivesse ao pé de você e a estivesse a ouvir contar esta história, você escreve sempre com o coração.
    Votos de um Iluminado fim de semana.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  15. Verinha que dificuldade pra achar a caixa de comentarios! kkkk adorei esse post. Hoje de manhã eu estava conversando sobre trabalhos que pessoas q conheço sofreram. Eu estava pensando em postar daqui a alguns dias essas histórias, e vou pedir pra deixar seu link para que meus poucos leitores tenham uma visão melhor da religiao. Eu não conhecia muito da Umbanda na realidade, fui em alguns terreiros mas era pequena e não entendia nada do que se passava, mas já senti dor no ombro quando estive perto de pessoas muito carregadas de energias negativas. Não entendo bem como funciona essa religiao, mas uma vez li um livro espirita chamado Baratzil que falava do inicio da Umbanda, e que ela fazia parte de um plano superior dos Espiritos de bondade para introduzir as pessoas na fé dos espiritos, porque o Espiritismo tinha se tornado muito elitizado e científico. Falou também das entidades que fundaram a religião. Também não acredito em diabo, o que acredito é que para o mal prevalecer basta que os bons não façam nada, ou seja, maldade é a ausência do bem, e não uma entidade que junte tudo o q é ruim em si. Na verdade (bancando a bibliotecária que incorporei por causa dos blog Meninas dos Livros) o diabo é uma apropriação que a igreja catolica fez do deus grego Pã, que era metade homem e metade bode. Não era uma figura muito boita, mas Pã não era maligno, era uma entidade ligada à natureza. Outra curiosidade é que o daemon do vocabulário hebreu nao significava demonio, e sim espírito. Demonio e diabo foram novos significados construídos pela Igreja Católica.
    Não culpo a igreja por ter feito essas coisas, afinal devia ser dificil sustentar que Deus era Amor durante a Idade Média, onde as pessoas morriam de fome, peste e saques causados pelas invasões barbaras e depois por guerras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê
      Assunto super interessante este da umbanda, ainda quero ler alguns livros e postar posts para explicar melhor sobre Umbanda e tantos assuntos que percebi que preciso estudar, pode levar o link sim. Afinal este post esta recheado de informações maravilhosas com a colaboração do Christian. Iria adorar se ele escrevesse um livro, seria esplêndido.
      Aprendi com meu avô sobre o diabo ou qualquer nome que queiram dar, o que existem são espíritos que se alimentam de nossa energia e ficam ao nosso lado perturbando. Dependendo como você tem sua energia equilibrada. Quando chego perto de alguma pessoa que sinto uma energia pesada cruzo meus braços e respiro bem profundamente, isso ajuda a nos proteger, pois sempre tenho espíritos ao meu redor que me protegem. Tudo aprendi com um preto velho e ficávamos horas conversando, aprendi a controlar minhas energias com ele, a equilibrar meus sentimentos evitando o ciumes e a raiva que sentia. As vezes saia do terreiro braba,mas voltava sempre. Ele dizia que eu tinha tudo, deveria aprender a ter humanidade e não ser tola de ninguém, que Deus nos colocou nesta terra para ser feliz e aprender com tudo e todos até com os tolos. Somos falhos em vários pontos, um dia nos tornaremos fortes só com nosso pensamento para o bem maior, que somos nós mesmos.
      A igreja católica colocou Lúcifer em destaque porque ela poderia perder seus fiéis para o paganismo, o qual diminui depois desta jogada, bom é só algo que li, mas tem muitos boatos quanto a isso. Sabe-se muitos fatos da igreja católica e tantas outras. A fé pelo medo.
      Adorei sua visita aqui Aleska, sabes que a cada comentário enriquece este post. Juro que quando o fiz, não esperava grande aceitação. Claro que algumas pessoas passaram por aqui e preferiram não comentar, mas os que comentaram mostraram respeito.
      Fique a vontade e seja sempre bem vinda.
      Beijos.

      Excluir